Winnicott, desconstruído

CURSO MINISTRADO POR: Wilson Franco

VAGAS: Fora

CARGA HORÁRIA: 6h

DIAS DO CURSO: 01, 08, 15 e 22/10/2021 - 19h30

 

O curso aborda temas centrais do winnicottismo a partir de uma perspectiva crítica e pautada pelas urgências de nosso tempo e meio.

Sem estoque no momento!
Avisa-me quando voltar ao estoque.

Avisa-me

Ementa do Curso

Winnicott foi um pediatra e psicanalista inglês, e sua obra é uma das tantas (ao lado das de Lacan, Klein, Bion e Ferenczi, por exemplo) a projetar uma sombra que acolhe psicanalistas brasileiros, que se reconhecem e posicionam como “winnicottianos”. Pois bem: esse curso não é uma introdução ao winnicottismo – é, isso sim, uma proposta de habitação crítica da obra winnicottiana, tendo como propósito recuperar a partir de seus rastros temas e campos de debate que interpelem nosso tempo e meio. Nessa medida, pode-se considerar que o curso se constitui como fruto da “habitação desconstrutiva” (aproveitando a expressão empregada por Hillis Miller) da obra de Winnicott, de forma que o curso se ampararia tanto na obra de Winnicott quanto na de Derrida – Derrida que foi o autor de referência para a tradição crítica e intelectual conhecida como “desconstrução”.

A desconstrução não é – que esteja claro – uma crítica ao autor estudado, como se uma trajetória desconstrutiva da obra de Winnicott seja um esforço interessado em “desmontar” ou “derrubar” o lugar desta obra no contemporâneo; pelo contrário: o interesse seria o de promover uma habitação inquieta e insubmissa, que retire da habitação do corpus winnicottiano elementos que, independente do que se passe no campo do winnicottismo enquanto tradição comunitária, digam respeito ao contemporâneo.

O curso está construído de forma que cada encontro se enderece a um tema relativamente consagrado na tradição winnicottiana, que será tratado de forma a interagir com temas que favoreçam “leituras a contrapelo”. Assim: numa primeira aula falaremos do “bebê winnicottiano” (não um filho dele que foi bebê um dia, obviamente, mas o conceito “bebê” conforme desenvolvido por Winnicott em suas discussões sobre metapsicologia e teoria da clínica) e, a partir daí, da insistência de uma retórica “neotênica”, infantilizante, que muitas vezes se faz notar nas leituras feitas da obra de Winnicott (perpetuando a imago de Winnicott como uma espécie de “bom velhinho”); na segunda aula trataremos do holding, conceito de destaque na teoria da clínica winnicottiana, articulada ao complexo campo da chamada “clínica da regressão”, a partir de onde partiremos em direção a considerações acerca das condições de possibilidade para o reconhecimento e valorização de um pensamento crítico que não seja tributário do estruturalismo francês; na terceira aula falaremos dos conceitos complementares de “verdadeiro-“ e “falso self”, desdobrando a partir daí considerações críticas acerca do campo de pressupostos mobilizado em qualquer eventual práxis clínica e suas repercussões em termos de ontologia e teoria social; por fim, na quarta e última aula, trataremos dos textos sobre cultura e sociedade publicados postumamente no livro “Home is where we start from” – que dão notícia de algumas concepções winnicottianas acerca de cultura e sociedade, mobilizando esses textos como plataforma para uma reflexão crítica acerca das relações entre a práxis clínica, as concepções ideológicas do autor e a composição de sua imago autoral.

 

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS:

O curso se constituirá em torno de exposições críticas e debates, de forma que os textos indicados servem apenas como referência e sugestão de leituras relacionadas:

Franco, W. Os lugares da psicanálise na clínica e na cultura (capítulos 2 e 3). São Paulo: Blucher, 2020.

Figueiredo, L.C. Três teses sobre o paradoxo em psicanálise: ressonâncias, in: Figueiredo, L.C. As diversas faces do cuidar: novos ensaios de psicanálise contemporânea. São Paulo: Escuta, 2009.

Goldman, D. Introduction, in: Goldman, D. (ed.) In one’s bones: the clinical genius of Winnicott. Londres: Jason Aronson, 1993.

Kupermann, D. A maldição egípcia e as modalidades de intervenção clínica em Freud, Ferenczi e Winnicott, in: Kupermann, D. Estilos do cuidado: a psicanálise e o traumático. São Paulo: Zagodoni, 2017.

Phillips, A. Winnicott. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2006.

Rodman, F.R. Winnicott: life and work. Cambridge, USA: Da Capo Press, 2003.

Winnicott, D.W. Tudo começa em casa (terceira parte: “Reflexões sobre a sociedade”). São Paulo: Martins Fontes, 2005.

Winnicott, D.W. O destino do objeto transicional (1959), in: Winnicott, C., Shepherd, R. e Davis, M. (orgs.): D.W.Winnicott: explorações psicanalíticas. Porto Alegre: Artmed, 1994.

Aspectos técnicos

As aulas serão transmitidas pelo Google Meet. As instruções para o acesso serão enviadas por e-mail dois dias antes do início do curso. Se você se inscrever nos últimos momentos, receberá essas instruções no dia da primeira aula.

Nossas aulas são transmitidas ao vivo, mas são também gravadas e podem ser assistidas posteriormente. Os links dos vídeos ficam ativos por 30 dias corridos a partir do fim do curso. Oferecemos certificado apenas para quem tiver 75% de presença nas aulas ao vivo.

Para mais informações: [email protected]

Ministrado por

Wilson Franco

Psicólogo e psicanalista, professor na Fundação Escola de Sociologia e Política, doutor em Psicologia Clínica pelo Instituto de Psicologia da USP e autor dos livros “Gente só” (Chiado, 2014), “Autorização e angústia de influência em Winnicott” (Casa do Psicólogo, 2014), “Expressões do indizível” (Patuá, 2019) e “Os lugares da psicanálise na clínica e na cultura” … Continue lendo “Wilson Franco”

Aulas

AULA 1
Data: 01/10/2021
Horário: das 19h30 às 21h

____________________________________

AULA 2
Data: 08/10/2021
Horário: das 19h30 às 21h

_____________________________________

AULA 3
Data: 15/10/2021
Horário: das 19h30 às 21h

____________________________________

AULA 4
Data: 22/10/2021
Horário: das 19h30 às 21h