Sociedade do espetáculo

CURSO MINISTRADO POR: Gabriel Zacarias

VAGAS: 79

CARGA HORÁRIA: 10h

DIAS DO CURSO: 01, 08, 15, 22 e 29/10/2020 - 19h

 

Revisitar o pensamento de Guy Debord pode ser agora mais pertinente do que nunca. A caracterização de nossa sociedade como um “conjunto de relações sociais mediadas por imagens” onde “tudo o que era diretamente vivido afastou-se na representação” parece decerto mais tangível após a vida em quarentena.

Nº de pessoas:

-

+

Limpar

R$ 280,00

Ementa do Curso

Com o mundo paralisado pela pandemia, a afirmação de que vivemos em uma “sociedade do espetáculo” parece ter se tornado ainda mais verdadeira. Em todos os ramos da vida, as atividades presenciais foram substituídas pelas virtuais e a mediação da imagem tornou-se incontornável. Revisitar o pensamento de Guy Debord, autor de A sociedade do espetáculo (1967), pode ser agora mais pertinente do que nunca. A caracterização de nossa sociedade como um “conjunto de relações sociais mediadas por imagens” onde “tudo o que era diretamente vivido afastou-se na representação” parece decerto mais tangível após a vida em quarentena. Mas um retorno atento à teoria de Debord pode ser também surpreendente, indicando que o “espetáculo” do qual falou o autor vai muito além do “mundo conectado” que conhecemos hoje, remetendo a uma análise complexa dos fundamentos da modernidade capitalista.

  1. Crítica da separação
  2. Nossa velha inimiga, a mercadoria
  3. Espaço e tempo do espetáculo
  4. Espetáculo integrado
  5. Vivido aparente

Texto base:

Guy Debord. A sociedade do espetáculo (1967), seguido de Comentários sobre a sociedade do espetáculo (1988). Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

Bibliografia complementar:

Theodor Adorno, Max Horkheimer. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

Anselm Jappe. Guy Debord. Petrópolis: Vozes, 1999.

Robert Kurz. Razão Sangrenta. São Paulo: Hedra, 2013.

Georg Lukács. História e consciência de classe: estudos de dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

Herbert Marcuse. Eros e civilização: uma interpretação filosófica do pensamento de Freud, Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

Herbert Marcuse. O homem unidimensional: estudos da ideologia da sociedade industrial avançada. São Paulo: Edipro, 2015.

Gabriel Zacarias. No espelho do terror: jihad e espetáculo. São Paulo: Elefante, 2018.

Gabriel Zacarias et al. Capitalismo em quarentena. Notas sobre a crise global. São Paulo: Elefante, 2020.

 

Aspectos técnicos

As aulas serão transmitidas pelo Google Meet. As instruções para o acesso serão enviadas por e-mail dois dias antes do início do curso. Se você se inscrever nos últimos momentos, receberá essas instruções no dia da primeira aula.

Nossas aulas são transmitidas ao vivo, mas são também gravadas e podem ser assistidas posteriormente. Os links dos vídeos ficam ativos por 30 dias corridos a partir do fim do curso. Oferecemos certificado apenas para quem tiver 75% de presença nas aulas ao vivo.

Para mais informações: [email protected]

 

 

Ministrado por

Gabriel Zacarias

Professor do Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e pesquisador visitante da Universidade de Yale (EUA). Formado na França, foi um dos primeiros pesquisadores a estudar os arquivos de Guy Debord, e apresentou a publicação de inéditos do autor no volume Poésie, etc (Paris: L’Échappée, 2019). Conjuntamente com Alastair Hemmens, organizou a … Continue lendo “Gabriel Zacarias”

Aulas

AULA 1
Data: 01/10/2020
Horário: das 19h às 21h

____________________________________

AULA 2
Data: 08/10/2020
Horário: das 19h às 21h

____________________________________

AULA 3
Data: 15/10/2020
Horário: das 19h às 21h

____________________________________

AULA 4
Data: 22/10/2020
Horário: das 19h às 21h

_____________________________________

AULA 5
Data: 29/10/2020
Horário: das 19h às 21h