Que assim os dias

AUTOR: Roberto Corrêa dos Santos

 

Neste livro, os poemas de Roberto Corrêa dos Santos são muitas vezes duros, como há de ser no “terceiro mundo”, mas sem deixar de vislumbrar o amanhã

Quantidade:

-

+

R$ 25,00

Sobre o Produto

Versos que respondem ao assim dos dias, “como ombros respondem ao sol (descascando), como dedos respondem ao banho (enrugando), como bocas respondem ao beijo (existindo), como o amor responde à morte: visitando”. Assim Helena Martins define o novo livro de poesia de Roberto Corrêa dos Santos.

Se os poemas muitas vezes são duros, como há de ser no “terceiro mundo” da “penúria e da truculência”, eles não deixam de vislumbrar o amanhã, quando o poema “explodirá em ramos de outra flor: tão bela/ quanto bondosa”.

À aspereza da vida corresponde o trabalho com a linguagem, afinal “o verso no Brasil é difícil:/ a língua por cá toda ela varia/ escapa/ é arisca como certos peixes/ áspera como certas plantas./ E espeta.” Relação com a língua que atravessa o corpo e sua conflitante finitude, pois “Sem treinos de morte, emudeço:/ silencio o corpo: mato o verso”.

Observando e implicando os precipícios sociais e existenciais, seus “versos fazem/ as mentes voarem do céu ao inferno”. Duplicidade que, como nota Helena Martins, percorre todo o livro, em versos que se sentem jovens e indizivelmente velhos, que penetram tudo tal faca e ficam de fora a olhar, que caem, mas descobrem que o chão não era tão duro como se pensava.

Informações Adicionais

  • Capa comum: 168 páginas
  • Editora: Cult Editora; 1º edição (junho/2021)
  • Idioma: Português
  • ISBN: 978-65-86596-08-3