Imagens do Estranhamento

CURSO MINISTRADO POR: George Amaral , Ana Rüsche

VAGAS: 93

CARGA HORÁRIA:

DIAS DO CURSO: 14, 15, 16, 17 e 18/09/2020 - 19h

 

O curso pretende demonstrar como a literatura fantástica, em suas diversas manifestações, produz imagens que representam os conflitos e contradições presentes na realidade de sua época – das representações fantásticas e às antinomias do real.

Nº de pessoas:

-

+

Limpar

R$ 280,00

Ementa do Curso

O curso pretende demonstrar como a literatura fantástica, em suas diversas manifestações, produz imagens que representam os conflitos e contradições presentes na realidade de sua época – das representações fantásticas e às antinomias do real.

A partir da questão central, estranhamento, serão abordados temas na sequência histórica: os alertas sobre rumos da ciência emergente em Mary Shelley e ETA Hoffmann; a crise do Iluminismo no final do século XIX retratada por Poe e escritores weird; os conglomerados urbanos imaginados pelo cyberpunk; a atual crise climática, apresentada em obras de Jeff VanderMeer, Kim Stanley Robinson e N. K. Jemisin.

  1. Estranhamento e crítica social

Apresentação do curso. Aspectos teóricos. O tema do estranho para Sigmund Freud, Tzvetan Todorov e Viktor Chklovski. Possibilidades críticas tratadas por Herbert Marcuse, Darko Suvin, Fredric Jameson e Maria Elisa Cevasco.

  1. Construtos, amores, ciência e temores

Análise do conto O homem de areia, de Theodor Amadeus Hoffmann (1817), e do romance Frankenstein ou o Prometeu Moderno de Mary Shelley (1818).

  1. Espectros de uma sublime loucura

Aspectos centrais da obra de Edgar Allan Poe. Conceito de literatura weird e a contribuição de Algernon Blackwood e Robert Chambers. Mundos de H.P. Lovecraft e a releitura de Horror em Red Hook (1927), quase um século depois, feita por Victor LaValle em A balada do Black Tom (2016).

  1. Fim do mundo em conglomerados capitalistas

Publicação de Neuromancer, de William Gibson (1984), o retrato do capitalismo nos grandes conglomerados e a irrupção do cyberpunk. A obra de China Miéville, o new weird de Estação Perdido (2000) e de Kirsten Bishop. Artigo de Teresa Mira de Echeverría, New weird: sempre é possível uma outra realidade.

  1. A natureza revolta-se, transmuta-se

A importância de repensar as questões ecológicas desde o ecossocialismo. O tema ecológico e o exaurimento de recursos naturais em Aniquilação de Jeff Vandermeer (2014), A quinta estação de Nora K. Jemisin (2015) e Nova York 2140 de Kim Stanley Robinson (2017).

REFERÊNCIAS

AMARAL, George Augusto. Identidade, diferença e representação em “Estação Perdido”, de China Miéville. Margem Esquerda, São Paulo, Boitempo, n. 31, p. 126-140, 2018.

AMARAL, George Augusto. Novo estranhamento e consciência política: gêneros literários em Perdido Street Station, de China Miéville. 2017. Dissertação (Mestrado em Teoria Literária e Literatura Comparada) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-09012018-185349/publico/2017_GeorgeAugustoDoAmaral_VCorr.pdf.

BISHOP, Kirsten J. Saving the Gleeful Horse. Fantasy Magazine, março 2020. Disponível em http://www.fantasy-magazine.com/fiction/saving-the-gleeful-horse.

CEVASCO, Maria Elisa. “Como pensar a mudança hoje?”. Revista Fantástika 451, #1, verão 2018, p. 9-15. In https://bit.ly/3amZ7uu.

ECHEVERRÍA, Teresa P. Mira. New Weird: siempre es posible otra realidad. Origen Cuantico, Novembro, 2018. Disponível em https://www.origencuantico.com/new-weird-siempre-es-posible-otra-realidad.

FREUD, Sigmund. O infamiliar. São Paulo, Autêntica, 2019.

GIBSON, William. Neuromancer. São Paulo, Aleph, 2016.

HOFFMANN, ETA. O homem de areia. Rio de Janeiro, Rocco, 2010.

JAMESON, Fredric. Archaeologies of the future: the desire called utopia and other science fictions. Londres: Verso, 2005.

JEMISIN, Nora K. A quinta estação. São Paulo: Morro Branco, 2018.

LAVALLE, Victor. A balada do Black Tom (inclui Horror em Red Hook de H. P. Lovecraft). São Paulo: Morro Branco, 2018.

MIÉVILLE, China. Estação Perdido. São Paulo, Boitempo, 2016.

POE, Edgar Allan. Medo clássico. São Paulo: Darkside, 2017.

ROBINSON, Kim Stanley. Nova York 2140. São Paulo: Planeta, 2019.

SHELLEY, Mary. Frankenstein ou o Prometeu Moderno. São Paulo, Hedra, 2013.

SUVIN, Darko. Metamorphoses of science fiction: on the poetics and history of a literary genre. New Haven: Yale University, 1979.

TODOROV, Tzvetan. Teoria da literatura. São Paulo: Unesp, 2013.

VANDERMEER, Jeff. Aniquilação. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

 

 

Ministrado por

George Amaral

Escritor, psicanalista e consultor literário. Doutorando e Mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo, faculdade pela qual também formou-se bacharel em Publicidade e Propaganda. É especialista em Roteiro em Áudio e Audiovisual pela PUC-SP e Designer Gráfico formado pela Escola Panamericana de Arte, além de Psicanalista pela Sociedade Brasileira de … Continue lendo “George Amaral”

Ana Rüsche

É doutora em Letras pela FFLCH-USP com a tese “Utopia, feminismo e resignação em The left Hand of Darkness (de Ursula Le Guin) e The Handmaid’s Tale (de Margaret Atwood)”, que discute estes gêneros literários. É formada em Letras e também em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), sendo mestre em Direito Internacional. Produziu … Continue lendo “Ana Rüsche”

Aulas

AULA 1
Data: 14/09/2020
Horário: das 19h às 21h

____________________________________

AULA 2
Data: 15/09/2020
Horário: das 19h às 21h

____________________________________

AULA 3
Data: 16/09/2020
Horário: das 19h às 21h

____________________________________

AULA 4
Data: 17/09/2020
Horário: das 19h às 21h

____________________________________

AULA 5
Data: 18/09/2020
Horário: das 19h às 21h