História da escravidão e racismo estrutural

CURSO MINISTRADO POR: Silvio Almeida , Júlio César Vellozo

VAGAS: 12

CARGA HORÁRIA: 12h

DIAS DO CURSO: 15, 16, 17, 18 e 19/01/2018 - das 19h30 às 22h

 

O debate sobre racismo no Brasil tem ganhado cada vez maior espaço, tanto em função da persistência do fenômeno, quanto por conta da mobilização de diversos setores que buscam lutar contra ele.

Nº de pessoas:

-

+

Limpar

R$ 400,00

Ementa do Curso

O debate sobre racismo no Brasil tem ganhado cada vez maior espaço, tanto em função da persistência do fenômeno, expresso em diferentes manifestações no dia a dia do país, quanto por conta da mobilização de diversos setores que buscam lutar contra ele.

O presente curso quer abordar o racismo através de sua concretude como fenômeno histórico no Brasil. Para tanto, trataremos de diversas interpretações construídas por intelectuais brasileiros sobre a escravidão, abordando pensadores que trataram do fenômeno desde o século XIX até os dias atuais. Como ponto de chegada desse itinerário, discutiremos o conceito de racismo estrutural, chave explicativa para a compreensão do racismo brasileiro.

Aula 1: Parte I: Joaquim Nabuco, André Rebouças e a escravidão como razão estruturante da sociedade imperial. Parte II: Racismo científico e políticas de branqueamento no Brasil: a nação impossível.

Nessa aula discutiremos, na primeira parte, as ideias de Joaquim Nabuco e André Rebouças sobre as consequências da escravidão para a economia e a sociedade brasileiras. Na segunda parte trataremos do impacto do racismo científico sobre a intelectualidade que se ocupava em pensar a nação.

Aula 2: Parte I Gilberto Freyre e o mestiço como solução, Parte II Modernismo, Varguismo e a questão racial.

Esta aula discutirá a emergência do paradigma da mestiçagem como identidade nacional e os conflitos daí advindos. Veremos a questão primeiro nas teorias de Gilberto Freyre e depois, na segunda parte da aula, nas relações entre o modernismo e o governo Vargas.

Aula 3: Parte I: Florestan Fernandes: negritude e estrutura de classes no Brasil Parte II A influência de Edward Palmer Thompson nas interpretações sobre a escravidão no Brasil

Na primeira parte desta terceira aula trataremos do surgimento de uma nova escola de interpretação sobre a escravidão no Brasil que teve em Florestan Fernandes seu principal teórico. Na segunda parte trataremos do surgimento de outro paradigma interpretativo, influenciado pela obra do historiador marxista Edward Palmer Thompson.

Aula 4: Três visões da escravidão como macro sistema: as teorias do modo de produção escravista colonial, da Segunda Escravidão e a da formação do Brasil no Atlântico Sul.

Na quarta aula apresentaremos três interpretações sistêmicas, de caráter mais global, sobre a escravidão. A primeira é a do modo de produção escravista colonial, que considera as relações de produção no Brasil deram ensejo a um novo modo de produção, não classificado dentre os tipos clássicos pensados pelo marxismo. Outra é a da existência de uma segunda escravidão, cuja lógica já teria se dado no mundo do capitalismo. A terceira, representada pela obra seminal de Luis Felipe de Alencastro, é a que interpreta a formação do Brasil como parte de uma região, o Atlântico Sul.

Aula 5: Conclusão: o racismo estrutural.

A aula 5 é a conclusão do curso, uma espécie de ponto de chegada. Ela apresentará o conceito de racismo estrutural, visto como a chave interpretativa capaz de explicar o racismo brasileiro.

 

Ministrado por

Silvio Almeida

Pós-doutor pelo departamento de Filosofia e Teoria Geral do Direito da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Doutor em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Direito Político e Econômico e Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana … Continue lendo “Silvio Almeida”

Júlio César Vellozo

Doutor em História Social pela Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da USP (FFLCH/USP), Mestre em Culturas Brasileiras pelo Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB/USP), Bacharel em História pela Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da USP (FFLCH/USP) com período de estágio na Faculdade de Direito da Universidade Nova … Continue lendo “Júlio César Vellozo”

Aulas

AULA 1
Data: 15/01/2018
Horário: das 19h30 às 22h
____________________________________

AULA 2
Data: 16/01/2018
Horário: das 19h30 às 22h
_____________________________________

AULA 3
Data: 17/01/2018
Horário: das 19h30 às 22h
____________________________________

AULA 4
Data: 18/01/2018
Horário: das 19h30 às 22h
____________________________________

AULA 5
Data: 19/01/2018
Horário: das 19h30 às 22h