Escuta coletiva: A psicanálise como práxis da construção do laço social  

CURSO MINISTRADO POR: Daniel Omar Perez

VAGAS: 45

CARGA HORÁRIA: 8h

DIAS DO CURSO: 23, 24 e 30/11 e 01/12/2021 - 18h às 20h

 

Os encontros procuram apresentar dois usos do dispositivo psicanalítico: o primeiro como modo de abordagem para acolher a experiência de identificação coletiva entre a alienação e a emancipação; o segundo como trabalho de escuta coletiva com o intuito de acolher os conflitos psíquicos dos membros do grupo e possibilitar os encaminhamentos pertinentes.

Nº de pessoas:

-

+

Limpar

R$ 280,00

Ementa do Curso

Observação: metade do valor arrecadado com o curso será doado aos moradores do acampamento – Marielle Vive (MST), em Valinhos/SP.  

Estes encontros procuram apresentar dois usos do dispositivo psicanalítico. O primeiro como modo de abordagem para acolher a experiência de identificação coletiva entre a alienação e a emancipação. Isto permite observar modos de organização coletiva que podem ser social, econômica e politicamente transformadoras. O segundo como trabalho de escuta coletiva com o intuito de acolher os conflitos psíquicos dos membros do grupo e possibilitar os encaminhamentos pertinentes. Deste modo, a dinâmica de auto-organização possibilita dar conta das condições materiais de vida das pessoas, desde o alimento e a educação até a saúde física e psíquica.

Encontro 1. A identificação coletiva: alienação e emancipação. A lógica da identidade positiva e excludente. A lógica da identificação pela falta. A construção da massa pelo líder. A identificação de grupo em torno da demanda. A passagem da demanda ao desejo. Da reclamação à organização política.

Encontro 2. A identificação e a emancipação na América Latina. Os movimentos da independência do século XIX contra o colonialismo espanhol na América Latina. Formas de auto-organização política no século XIX. Povos originários e campesinos na cordilheira dos Andes; as montanhas são algo mais do que uma imensa estepe verde na América Central; Campesinos e povos originários no sul do México.

Encontro 3. O que faz a psicanálise para além do divã? As clínicas públicas de Freud na Europa. As clínicas públicas da psicanálise na Argentina dos anos 1950, 1960, 1970.

Encontro 4. A experiência de trabalho clínico de Marie Langer na Nicarágua com campesinos e trabalhadores urbanos auto-organizados nos anos 1980.

 

Bibliografia teórica básica

Estevão, I. &. (2020). Contribuições psicanalíticas a uma política dos afetos. São Paulo: Lavrapalavra.

Freud, S. (2013). Psicologia das massas e análise do eu. Porto Alegre: LPM.

Hoffmann, C. &. (2018). Uma nova leitura do populismo. São Paulo: Instituto Langage.

Laclau, E. (2013). A razão populista. São Paulo: Três Estrelas.

Perez, D. O. (2012). O inconsciente. Onde mora o desejo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Perez, D. O. (2018). Por que nos identificamos? Curitiba: CRV.

Safatle, V. (2020). Maneiras de transformar mundos. Lacan, Política e emancipação. Belo Horizonte: Autêntica.

Aleman, J. (2009). Parta una izxquierda lacaniana… Intervenciones y textos. Buenos Aires: Grama.

Merlin, N. (2015). Populismo y psicoanálisis. Buenos Aires: Letra viva.

Merlin, N. (2017). Colonizacion de la subjetividad. Los medios masivos en la época del biomercado. Buenos Aires: Letra viva.

Merlin, N. (2019). Mentir y Colonizar. Obediencia inconsciente y subjetividad neoliberal. Buenos Aires: Letra viva.

Merlin, N. (2020). La reinvención democrática. Un giro afectivo. Buenos Aires: Letra viva.

Stavrakakis, Y. (2010). La izquierda lacaniana. Psicoanálisis, teoría, política. Buenos Aires: FCE.

Danto, E. A. (2005). As clínicas públicas de Freud. São Paulo: Perspectiva.

Grinberg, L., Langer, M., & Rodrigué, E. (1957). Psicoterapia del grupo. Buenos Aires: Paidos.

Kaës, R. (2010). Um singular plural. São Paulo: Loyola.

Grinberg, L., & Langer, M. (1968). Psicoanálisis en las Américas. Psicoanálisis en las Américas (p. 230). Buenos Aires: Paidos.

Langer, M. (1977). Psicanálise institucional e psicanálise sem instituição. Psicanálise institucional e psicanálise sem instituição (p. 239). Belo Horizonte: Interlivros.

Langer, M. (1987). Psicoanálisis sin divan. Fin de Siglo, 57-59.

 

Ministrado por

Daniel Omar Perez

Professor de filosofia na Unicamp, com estágio de pós-doutorado na Bonn Universität (Alemanha) e na Michigan State University (Estados Unidos). É membro da Sociedade Kant Brasileira e atua como psicanalista. É autor de Kant e o problema da significação (Editora Champagnat, 2008); O Inconsciente: onde mora o desejo (Civilização Brasileira, 2012) e Ontologia sem espelhos. … Continue lendo “Daniel Omar Perez”

Aulas

AULA 1
Data: 23/11/2021
Horário: das 18h às 20h

____________________________________

AULA 2
Data: 24/11/2021
Horário: das 18h às 20h

_____________________________________

AULA 3
Data: 30/11/2021
Horário: das 18h às 20h

____________________________________

AULA 4
Data: 01/12/2021
Horário: das 18h às 20h